"Pensar e agir em direção à sustentabilidade, é muito mais do que cuidar da Natureza: nós somos a própria Natureza. É olhar para si mesmo com o coração aberto, receber com amor a sua vida e compartilhar com generosidade o seu melhor com todo o mundo. Ser sustentável é viver com amor, é viver nossa espiritualidade, é dar voz à nossa Natureza Divina"
Yumi Hada


ÁGUA

 

A água é um recurso natural da maior importância e a vida no planeta depende de sua existência e qualidade. Além de compor as células do corpo de grande parte dos seres vivos, a água é fundamental para o cultivo agrícola, criação de animais, como via de comunicação, regulação do clima, geração de energia, equilíbrio dos ecossistemas e usos diversos. A água não é só matéria. Ela possui diferentes dimensões simbólicas e faz parte do imaginário de culturas diversas.

Apesar de 70% da superfície do planeta ser constituído de água, somente 2,5% desse volume é de água doce, com grande parcela de difícil acesso como águas subterrâneas. Parte da água disponível também sofre com diferentes contaminantes (pesticidas, metais pesados, entre outros) e grande parte é utilizada indevidamente. Assim, é um equívoco pensar que a água que possibilita a vida no planeta está disponível infinitamente.

O Brasil possui grandes reservas de água doce, mas sua distribuição não é uniforme, havendo estados que contam com grande volume de água de rios e outros estados que sofrem com anos de seca.

A escassez da água tem sido tema em muitos fóruns (como o Fórum Mundial da Água e sua versão alternativa), e há quem defenda sua privatização. De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene. No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia (Fonte: SABESP) e utilizá-la de modo sustentável é fundamental.

Cada um de nós é responsável pela utilização responsável da água e você pode colaborar para isso com hábitos simples. Vamos ver alguns exemplos:

  • Não jogue lixo no vaso sanitário (papel higiênico, fio dental, cabelos). Com isso você evita entupimentos e, consequentemente, o desperdício de água;
  • Ao lavar as mãos, escovar os dentes ou fazer a barba feche a torneira. Outra ideia é usar um copo de água para o enxágue;
  • Aperte a descarga apenas o tempo suficiente e quando estiver em casa, só utilize-a quando necessário;
  • Desligue o chuveiro quando estiver se ensaboando e seja rápido no banho. Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se fechamos o registro, ao se ensaboar, e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 45 litros.
  • Feche a torneira ao lavar a louça. Deixar a torneira da pia ligada por quatro minutos gasta 55,2 litros. A sugestão é primeiro tirar o excesso de comida dos utensílios domésticos, ensaboá-los e só então ligar a torneira;
  • A lavadora, para auxiliar na economia, só deve ser utilizada quando estiver cheia. Máquinas com capacidade para 40 talheres e 45 utensílios gastam 40 litros;
  • Uma máquina de lavar com cinco quilos de roupa gasta em média 135 litros de água. Para economizar, o recomendado é juntar a roupa suja e só lavar uma vez por semana;
  • Não lave a calçada com mangueira. Faça a limpeza com vassoura e, se necessário, utilize água em balde, preferencialmente a água que sobrou da lavagem das roupas. Usar a mangueira como “vassoura” durante 15 minutos pode desperdiçar cerca de 280 litros de água;
  • No verão, regue as plantas pela manhã ou à noite. Durante o inverno, pela manhã, em dias alternados. Molhe sempre a base das plantas e não as folhas;
  • Quando viável, instale sistemas simples de captação de águas pluviais, que pode ser usada na limpeza dos edifícios (água de reúso);
  • Instale redutores de vazão em torneiras temporizadas;
  • Verifique vazamentos. Uma torneira pingando uma gota a cada 5 segundos representa mais de 20 litros de água desperdiçados em apenas um dia;
  • Lembra daqueles mais de 130 litros de água que a sua máquina de lavar usou? Experimente não deixá-la ir embora pelo ralo e guardá-la para limpar o quintal de casa. Outra opção é usar a boa e velha vassoura.
 

Fontes: SABESP; http://g1.globo.com/economia/crise-da-agua/como-economizar-agua.html; http://www.worldwaterforum8.org/pt-br/home

A matriz energética brasileira, embora bastante diversificada, é fortemente sustentada pela produção das usinas hidrelétricas, que representa em torno de 65% da oferta interna de energia elétrica.

Entretanto, a energia originada a partir do potencial hídrico exige intervenções com significativo impacto ambiental e sociopolítico. A formação dos reservatórios atinge geralmente terras agricultáveis, desintegrando a população local que perde suas raízes sociais e fontes de renda, além de alterar ecossistemas aquáticos e terrestres, afetando notavelmente a fauna e a flora locais.

Ao reduzir o consumo de energia de energia elétrica, diminuímos a necessidade de construção dessas novas usinas.

Você pode contribuir para transformar esta realidade, adotando práticas como:

  • Utilize ao máximo a luz e ventilação natural no ambiente de trabalho;
  • Limpe regularmente as luminárias e lâmpadas. A sujeira reduz a iluminação;
  • Desligue o monitor do computador quando se ausentar por mais de 15 mim. A proteção de tela é responsável por até 80% do consumo de energia do computador;
  • Use o ar-condicionado de forma racional. As temperaturas muito baixas consomem mais energia. Então, regule a temperatura de acordo com o ambiente, evitando o frio excessivo;
  • Portas e janelas devem permanecer fechadas quando o ar-condicionado estiver ligado, para evitar a saída de ar resfriado e impedir a entrada do ar externo e não sobrecarregar o equipamento;
  • Não deixe carregadores na tomada enquanto não forem utilizados;
  • Não deixe a TV ligada sem necessidade. Escolha um aparelho com timer que, se programado,desliga automaticamente;
  • Acumule grande quantidade de roupa e a passe de uma só vez e passe roupas leves, como lingeries, após desligar o ferro;
  • Não coloque alimentos quentes na geladeira ou no congelador, pois isto aumenta a produção de calor.

Fontes: Eletropaulo e Boletim Mensal de Energia de Janeiro/2018, divulgado pelo MME.

De acordo com a Indústria Brasileira de Árvores -Ibá, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking dos países produtores de celulose, matéria-prima utilizada na fabricação de diversos tipos de papéis, e o primeiro produtor mundial de celulose de eucalipto. A celulose de fibra curta é ideal para a produção de papéis como os de imprimir, escrever e de fins sanitários (papel higiênico, toalhas de papel, guardanapos).

Os problemas ambientais relacionados à produção e consumo de papéis são de grande escala, com os principais impactos relacionados ao alto consumo de matéria prima – especialmente madeira, água e energia. Além de usar intensivamente recursos florestais, o processo de produção de celulose para a fabricação do papel gera quantidades consideráveis de resíduos sólidos, tais como: lodo de cal, cinza de caldeira, lodo biológico, e diversos tipos de sais.

O papel A4 - 75 g/m2 ocupa posição de destaque quanto ao uso nas ações rotineiras. Apesar de muitos processos terem sido automatizados, o consumo de papel na administração pública ainda é considerado um dos grandes “vilões” do desperdício.

Segundo o IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, estima-se que haja um uso anual de quatro mil folhas de papel por servidor. E, considerando que o TRT-2 possui  aproximadamente 6 mil servidores/magistrados ativos, o uso total por ano pode chegar a 24 milhões de folhas, 48 mil resmas, isto é, pacotes com 500 folhas.

Ao reduzirmos o consumo de papel, estamos contribuindo para reduzir o consumo de árvores necessárias para a sua produção e estamos indo em direção a um desenvolvimento mais harmônico e sustentável.

Defender e melhorar o meio ambiente para as atuais e futuras gerações se tornou uma meta fundamental para a humanidade. É essencial a colaboração de todos a fim de buscar meios alternativos para evitar tal desperdício.

Algumas dicas simples ajudam a reduzir o consumo de papel, além de contribuir na redução dos impactos gerados no Meio Ambiente:

  •  Avalie se há necessidade de impressão. Se o documento puder se armazenado no computador, pen drive ou hd externo, melhor;
  •  Disponibilize documentos por e-mail ou outras formas, evitando impressões desnecessárias;
  •  Configure sua impressora para automaticamente imprimir frente e verso;
  •  Use a opção EcoFont, estilo de fonte desenvolvida especialmente para economizar tinta nas impressões (assim também economiza nos cartuchos);
  •  Se for imprimir documento com muitas páginas, trabalhe com a formatação, como a ampliação da margem de impressão. A redução de uma página no arquivo original pode resultar na economia de centenas de folhas;
  •  Reutilize impressos antigos como rascunho;
  •  Não é possível mais reaproveitar o papel usado? Separe-o para a reciclagem. Mesmo que esse processo também consuma energia, o papel reciclado evita que árvores sejam derrubadas, além de consumir menos água ao ser produzido. Cada tonelada de papel enviado para o processo de reciclagem deixa de ocupar uma área de aproximadamente 3 metros cúbicos nos aterros sanitários. É possível reciclar um papel com textura de boa qualidade até sete vezes;
  •  Se for imprimir apresentações em Power Point, opte pelo modo “Folheto”, na área de configurações, ao invés de “Página Inteira”. A opção comporta até seis slides por folha. Outro recurso econômico é imprimir o material em preto e branco, eliminando a cor de fundo. Dessa forma, a reprodução do slide ficará melhor na fotocópia, você economizará tonner e terá um material de qualidade.

Fontes: http://www.mma.gov.br, http://iba.org/pt/produtos/celulose e http://www.ipea.gov.br.